Linda Martins, 18, Salvador. Livros (os que leio e os que escrevo), minimalismo, estudos aleatórios e comida definem minha vida. Em constante evolução. Se você for suficientemente observador, verá que esta bio é diferente da bio do ano passado.

ENTREVISTA
Rudson Xaulin

RESENHA
Um beijo inesquecível

AUTORAIS
Baed

9.2.16

Uma dose de minimalismo

Então, o nome não é muito estranho por aqui, já que o minimalismo já foi citado no blog durante o post sobre a Malika Favre (confira aqui), mas essa é a oportunidade para aqueles que não conhecem o estilo, de explicá-lo de uma forma mais detalhada. O minimalismo é um estilo que abrange a arte, moda, música, arquitetura, design de ambientes, etc, e desde seu surgimento, no século XX, vem se aprimorando e conquistando cada vez mais espaço. Meu interesse pelo estilo começou durante uma pesquisa despreocupada de colégio, e a cada vez que eu pesquiso sobre, mais eu me identifico com ele.

Algo que é comum a todas as áreas onde o estilo minimalista é aplicável é a paleta de cores sempre neutra, com abundância de branco, preto, cinza e azul.  A filosofia minimalista se resume na frase “menos é mais”, portanto, você não vai ver cores, objetos ou estampas gritantes e ostentosas. É na simplicidade do estilo onde mora a elegância, porém, cada área tem suas próprias particularidades e portanto, devem ser apresentadas individualmente.

Conheça as principais:

  • Arte
Além das características já citadas, a arte minimalista tem um fator especial: a ausência de traços detalhados, especialmente quando pessoas ou animais são retratados. Há muitas formas geométricas nas pinturas minimalistas, mas não há a necessidade de retratar as paisagens com realismo, e as cores são muito fixas e sólidas, sem muitas nuances ou texturas. 

                                        
  • Música
Vou usar a banda The XX, já citada em várias postagens aqui, como exemplo. O detalhismo, aqui, diferentemente da arte, já é uma característica não só presente, mas essencial para a música minimalista. As notas são tocadas com exatidão e você pode sentir cada uma delas, assim como os instrumentos, que mesmo poucos, são bem perceptíveis. 


  • Moda
Acredito que essa seja a área mais citada, e onde há também a maior parte das confusões quanto ao minimalismo. O estilo minimalista é muitas vezes confudido com aplicar uma forma minimalista de usar suas roupas, apesar de que, para mim, ambas as coisas são complementares. Aplicar uma forma minimalista de usar suas roupas está atrelada ao protesto ao consumismo, quando você enxuga seu guarda-roupa a uma quantidade limitada de peças versáteis que podem ser usadas várias vezes usando combinações diferentes. O estilo minimalista está ligado ao design, com roupas de cores neutras, tecidos estruturados e um cuidado maior ligado à costura, como a presença de cortes assimétricos, por exemplo. As estampas são presentes, porém escassas e obedecendo a paleta de cores do estilo.